28 setembro 2005

Meu Inglês

Todo mundo me pergunta como anda o meu inglês. Então vou explicar um pouco aqui.

Meu inglês nunca foi muito bom, mas eu sempre soube me expressar principalmente escrevendo. Então eu tenho uma noção da gramática, mas meu ouvido precisa acostumar pra eu ter certeza do que estou ouvindo. Minha sorte foi ter passado 1 mês em Bruxelas antes de vir aqui. Digamos que o impacto foi gradativo. Lá eu falava (e ouvia) o inglês internacional, então o pessoal fala pouca gíria, e não usa muitas expressões locais. Quando cheguei aqui o ouvido estava acostumado com o inglês, mas não com o "escocês" ou mesmo com o inglês britânico.

Mais uma vez fui salvo pelo inglês internacional dos meus dias no albergue e depois com o pessoal aqui do prédio, que é na grande maioria estudante estrangeiro (com algumas excessões).

Quando precisei lidar com o inglês/escocês de verdade, foi só uma questão de acostumar mesmo. Nas aulas os professores falam bem corretamente e usam poucas gírias ou expressões, então é mais ou menos aquilo que a gente aprende nos livros de inglês mesmo.

O maior problema pra mim é mais uma questão cultural do que da língua propriamente dita. Como todos sabem, existem 1000 maneiras de dizer a mesma coisa e maneiras regionais, girias e maneiras que você so fala (não escreve). Então as vezes você está esperando por uma pergunta de um jeito e então vem algo que você nunca ouviu na vida - e então você fica procurando palavras chave pra tentar entender. Hoje por exemplo um ingles perguntava onde eu morava e usou um "from" em algum lugar e eu pensei que ele perguntou de onde eu era. Mas ao invés de soltar o tradicional "Where do you live?", ele falou esse negócio que até agora não sei o que foi. De qualquer modo depois que eu respondi "Brazil" e ele ficou "mangando" de mim, perguntou direito e ai que eu fui entender.

Outro exemplo que eu gosto de dar é o exemplo de que todo mundo aqui sabe tudo sobre Harry Potter. A escritora tem uma casa do lado da universidade e escreveu muito dos livros aqui em Edinburgh. Então isso é assunto recorrente nos bate-papos. Como eu não sei bulhufas de Harry Potter (assisti os filmes e nem lembro direito), fico viajando nas conversas. Algumas coisas nas salas de aula como cases tipicos britanicos que "todo mundo" sabe, eu as vezes não sei porque a gente não ouve falar mesmo no Brasil, e ai depois de ouvir vou pesquisar na net pra descobrir o que era (hoje estavamos falando sobre o supermercado Tesco por exemplo, como mudou, etc). É como se contasse pra um gringo sobre Paes Mendonça em 5 minutos. Ele vai viajar pra entender.

Pra falar, me expresso sem problemas. Cheio de erro muitas vezes, mas o pessoal entende ou as vezes pergunta de novo. Estava conversando com um cara do suporte internacional e ele disse pra mim algo como "seu inglês está muito bom (para um brasileiro)". Isso depois de eu passar 1 hora conversando com ele sobre varias coisas e ele ter me explicado varias expressões tipicas daqui.

Bem, em resumo meu inglês é meio tosco, mas da pra me virar relativamente bem. Semana que vem começo as aulas de escrita (principalmente voltada pra escrever dissertação) e discussão em grupo (pra aperfeiçoar o ouvido, girias e expressões). Tudo de graça. Universidade boa essa, hein?

Uma ultima observação. As mulheres sempre tem o inglês melhor que os homens, podem reparar. É o poder e a facilidade da comunicação que todas elas tem. Segundo o vizinho inglês as mulheres precisam ter paciência e entender os filhos - está na genética.

Estou querendo escrever umas coisas por aqui sobre a situação do Brasil e sobre meu período na Bélgica. Farei isso no final de semana.

Até mais
igor

7 comentários:

bruno disse...

Bom esse texo baitola. Mas não se anime (nunca) em ser "bom pra um brasileiro". Se não conseguir se fazer entender, plano B. Use todo seu "bahian Sex appeal"

lambarilson son son disse...

baiaaaanooo!!!


só to comentando pra mostrar q eu li essa novela que tu escreveu aí. deu pra ti.

Ricardo disse...

Fiquei comovido ao ver q vc fez uma campanha via email pra todos lerem seu blog. Então to avisando aqui q eu leio, mas nem sempre comento...

Aura disse...

Igor, seu blog está na minha lista de favoritos em 2, dos três, computadores que eu uso normalmente... Meu fio, vc é um sucesso. Depois, pode até publicar seus textos do blog em forma de livro... eu estou amando... kkkk Dou sempre muita risada, pq fico imaginando vc falando essas coisas que escreve. rssssssss Vc é muito cômico, amigo. Desculpe a sinceridade. Morro de rir só de imaginar sua cara. kkk
No mais, estou bem... Nem sei se vou adiante com esse sonho de dançar no balcão de alguma boite em Miami (igual a Sol da novela América)rsss. É muito complicado e meu inglês ainda está muito fraquinho.
Quanto a idéia de ir a Portugal, achei legal, mas ainda não encontrei nenhuma pós ou mestrado que me interessasse. Tou pesquisando na Net. Até me desanimei um pouco, mas acredito que se eu insistir nisso posso acabar conseguindo.
No mais, adoro vc e troco altas figurinhas com sua ada fofa Wal. Escolha certa, querido... A menina é gente boníssima! rsss

Grande beijo e até o próximo contato. Adoro receber seus e-mails.

Dani, cunhada disse...

Caro tio Igor, é com grande satisfação que leio em seu blog suas peripécias britânicas. Espero que esteja tudo bem com vossa senhoria. Resolveu o seu ploblema de mulheres que não dão pra ninguém? ou continua utilizando outros métodos? cuidado para não desenvolver LER... Beijao

Dany disse...

Sempre observando as mulheres..... Amiguinho delas.... hammmm
Cadê meu gringo?

David Bailey disse...

Oi Igor, sou Londrino (ingles) mas conheco muitos brasileiros que usam www.meuingles.com para ajudar com os erros. Já conhece o site? É tipo £10 por mes...