13 janeiro 2006

Educação e Outros

Gripe e febre escocesas me pegaram esses dias e estou meio debilitado. Já estou me cuidando (sem o SUS britânico) e fico bom no final de semana. Enquanto isso aproveito pra estudar embaixo das cobertas.

Por falar em estudar, ontem recebi boas notícias sobre meus trabalhos da faculdade. Duas notas distinction em dois trabalhos diferentes. Aqui o sistema é assim:

F1-F5 (F5 é o pior) - Fail (perdeu)
P1-P5 (P5 é o melhor) - Passou
D1-D5 (D5 é o melhor) - Passou com distinção

Tive também um P2 em outro pois escrevi fora do tema proposto.

O sistema educacional daqui é bem interessante. Quanto mais você da sua opinião e criticas, mesmo que não seja o que os professores falaram, melhor a sua nota - desde que você se explique direito. Se responde uma pergunta como está no livro as vezes você até perde! Mas quando você perde (tira algum F por exemplo), ao invés de simplesmente você se dar mal, pode refazer o trabalho (o professor ajuda) mas sua nota fica no máximo P1. É muito difícil ter um distinction ou perder, em geral todo mundo fica na letra P.

Eu lembro das aulas de Eduardo na católica e pensando o quão sem sentido pode ser uma educação daquele tipo, onde o professor coloca números e explicações no quadro e aquilo lá e a verdade, que você precisa decorar depois para passar e não aprender e ter senso crítico, discutir o assunto ou simplesmente saber lidar com aqueles assuntos quando eles aparecerem na vida real. Intimida ao invés de construir um ambiente favorável a discussão e ao aprendizado. Esse tipo de educação é o que estão tentando mudar na China e na Índia, onde os professores são mestres absolutos e a tarefa do estudante é decorar o que o professor diz. Chegaram a conclusão que isso acaba com a criatividade e a inovação. Forma pessoas sem o menor senso crítico e sem imaginação. Acomodadas com o conhecimento que receberam. Isso vai fazer a diferença nesses países que serão as grandes potencias mundiais em poucos anos. Se eles não tiverem educação de qualidade correm o risco de ficarem estagnados, sem mão de obra qualificada, inovação ou conhecimento. Vão depender dos outros para isso.

Outra hora falo mais sobre esse assunto e sobre Brasil.

Por último, contrariando a tradicional lenda que a palavra Forró vem do inglês "For All", descobrimos que a palavra "Forró" em húngaro significa QUENTE. Estou achando que algum húngaro deve ter andado pelas bandas nordestinas e falado que aquela dança era muito "Forró" e isso caiu na boca do povo.

Beijos em todos
Igor

5 comentários:

Anônimo disse...

Igor,

Primeiramente PARABENS pelo desempenho e pelas duas notas distinction.
Realmente pelo que você diz a forma de avaliação por aí é bem mais motivadora e justa.
Continue com esse seu interesse e dedicação que muito vai ser útil em futuro bem próximo.
Como motivação para seus primos, irmãos e amigos, acho que você deveria noutra oportunidade comentar sobre a sua visão em relação a importância de estudar, e o quanto o mestrado tem propiciado de melhoria da sua vida profissional e pessoal.
Vendo sua postura anterior, onde sua preocutação era somente "passar" e a atual, onde a avaliação é importante, observo claramente quanto você tem evoluido e crescido.

Um grande abraço,

Marconi

bruno disse...

Etimologia de forró

Explicação clássica:
Forró provém de festas "for all".

Explicação que nega a clássica:
Forró é a forma contracta de forróbodó.

Explicação que sustenta a negação da clássica:
Forrobodó nada mais é do que a forma aportuguesada das festas onde cachorros não entravam. Eras festas "for all but dog"

Quem tiver uma explicação melhor, mande-a.

bruno

Anônimo disse...

Rapaz, pode crêr q vc tem toda razão. Até a oitava série eu não passava de um mero "reprodutor" do que os meus professores ensinavam. Eu sempre tive o senso crítico aguçado, entretanto os professores sempre davam mais valor ao que nós conseguiamos reproduzir das apostilas. Ainda bem que mudei de colégio!
Tive duas professoras na Católica que foram as arrasadoras da galera no semestre em que fomos seus alunos. Foram consideradas "o terro" por todos, menos por mim (sempre eu!). Elas só queriam saber o que a gente pensava. Eu mandava ver, já que dar palpite é comigo mesmo.
Sobre Eduardo, quando fui seu aluno, a duras penas tive de reencontrar esse "cassete disco" latente que tenho. De qualquer forma, quem perdeu foi ele, afinal, mais enriquecedor do que ler Dom Casmurro, é poder discutir se Capitú traiu Bentinho ou não. Concordo que ele tem uma metodologia unilateralista, mas gosto quando ele tenta pôr a galera nos trilhos, pois estudar no curso de Publicidade parece não ser preponderante.

Plinio

Anônimo disse...

Espero que com a ajuda do professor leko, e sua eurosextrip, vc passe tb na matéria "mulheres européias".

Até agora vc só tirou F5.

Simbora,

Pinça (quase solteiro de novo)

Leo Dutra disse...

Gordo, tá estudando pra caralho, hein? Soube que você esta canalizando todas as suas energias no chácara da cabeça...

Uma curiosidade: BUNDA em indonésio significa mãe.